A Rede que pretende articular o artesanato de São Paulo

Shirlene Ribeiro da Silva, Loli Colpa, Luciana Galloni, Cleide Toledo, Marina Toledo e Julia Asche.

Shirlene Ribeiro da Silva, Loli Colpa, Luciana Galloni, Cleide Toledo, Marina Toledo e Julia Asche

A Rede Articulando – Fomento ao Artesanato Paulista e Paulistano, é um coletivo independente, laico e apartidário. Foi criada para discutir e levantar propostas para a elaboração de políticas públicas, promover o artesanato do Estado, capacitar o artesão na gestão do negócio e a comercialização do artesanato paulista e paulistano.

A Rede nasceu após a aprovacão do PL 7755/2010 que tramitava no Congresso Nacional no dia 09/09/2015, onde o mesmo foi para a sanção da Presidente Dilma para regulamentar a profissão de artesã/artesão.

Suas fundadoras participaram de um Congresso organizado pela Confederação Nacional dos Artesãos do Brasil, CNARTs, a qual escolheu uma artesã de São Paulo para ser a representante do artesanato do Estado sem uma convocação pública que pudesse elegê-la como representante de fato. Os artesãos não foram ouvidos para que pudessem deliberar sobre os eixos temáticos que seriam discutidos no VII Contrarte ocorrido em Natal, RN, no período de 19 a 21/10/2015.

Neste evento, havia artesãos descontentes com a forma de convocação que fizeram para que o Congresso acontecesse. Não houve tempo hábil para que as pessoas de todo o Estado pudesse participar.

Segundo Marina Toledo, é importante frisar que no dia 12/08/2015 houve uma audiência pública promovida pela Sutaco e a representante do Estado deste “Congresso” não se manifestou sobre o evento que estava organizando para o mês seguinte. Toda esta falta de clareza e os delegados já escolhidos demonstraram a ilegalidade no processo para a eleição do representante. Diante de todos esses fatos, Shirlene Ribeiro da Silva, Loli Colpa, Luciana Galloni, Cleide Toledo, Marina Toledo e Julia Asche naturalmente se uniram formando assim a Rede Articulando.

Marina Toledo

Marina Toledo

Portal Anapress – Por que o nome Rede Articulando?

Marina Toledo – Rede porque acreditamos que esta palavra traduz o significado de troca, aquisição e compartilhamento de conhecimento dentro de um coletivo. E o termo Articulando, para sugerir movimento e continuidade no fomento ao artesanato paulista e paulistano com a participação de todos os envolvidos: artesãs, artesãos, poder público, toda a cadeia produtiva como organizadores de feiras, redes hoteleiras, lojistas, associações e cooperativas articuladas para valorização do artesanato paulista e paulistano.

Portal Anapress – O que a Rede objetiva?

Marina Toledo – Tornar o artesanato do Estado uma referência nacional e internacional. Mostrar que o Estado de São Paulo será protagonista no cenário artesanal e não mais coadjuvante. Empoderar o profissional para que seu produto seja reconhecido interna e externamente.

Portal Anapress – Como ela atua para alcançar estes objetivos?

Marina Toledo – Através de parcerias com Universidades e Entidades, com a Economia Solidária (Unisol São Paulo e Brasil), multiplicando conhecimentos e ouvindo as demandas do setor. Com a parceria destas entidades, mais a força desse grupo de mulheres, vamos alcançar de forma gradual e consistente os obstáculos que sabemos que são inúmeros. Nossas metas são grandiosas e os desafios são feitos para serem superados.

Portal Anapress – A Rede atua somente em São Paulo? Se sim, por quê?

Marina Toledo – A Rede Articulando atua em todo o Estado de São Paulo, temos filiados do interior, do litoral e da capital.

Portal Anapress – A Rede conta com algum apoio ou parceria?

Marina Toledo – Como disse acima, temos como grandes parceiros o Design Possível, a Universidade Mackenzie, através dos alunos da faculdade de Desenho Industrial, Economia Solidária, Unisol São Paulo e Unisol Brasil.

Portal Anapress – O que deve fazer o artesão para fazer parte da Rede Articulando?

Marina Toledo – Enviar um e-mail para redearticulando@gmail.com solicitando a ficha de adesão.

Portal Anapress – Quais benefícios a Rede oferece ao artesão?

Marina Toledo – Capacitação na gestão de negócios, na produção, nas oficinas de melhoria de produtos, no fomento de políticas públicas e no maior gargalo do artesanato que é a comercialização. Também atuamos nas três esferas públicas: municipal, estadual e federal. Dentre as fundadoras, eu sou representante de São Paulo eleita no último pleito do Conselho Nacional de Políticas Cultural, CNPC, setorial artesanato da região sudeste.

Portal Anapress – O trabalho da Rede Articulando se assemelha ao trabalho da Sutaco? Qual é seu diferencial?

Marina Toledo – Não há semelhanças. A Sutaco foi e é uma grande incentivadora da Rede ou de qualquer grupo que queira o fortalecimento do artesanato no Estado. A Sutaco é a representante da coordenação do PAB, Programa do Artesanato Brasileiro, no Estado de São Paulo. Ela credencia se o artesão ou artesã realmente detém o saber alegado. O profissional é avaliado através da execução de suas técnicas artesanais. Sendo comprovada sua habilidade, a mesma emite a carteira do profissional do Estado e também a carteira do Sicab, ou carteira nacional do artesão/artesã.

Portal Anapress – Sutaco e Rede Articulando podem trabalhar juntas? O que pode resultar desta parceria?

Marina Toledo – A Rede Articulando pode e deve fazer parceria com qualquer entidade privada ou pública que queira a valorização do artesão/artesã. Disso não abrimos mão. Vemos o artesanato como um negócio, não como uma relação assistencialista, um hobby ou um “bico”. O artesanato é viável economicamente para quem quer viver de seu ofício, desde que o veja como tal.

Portal Anapress – Segundo a Rede, qual o potencial do artesanato paulista?

Marina Toledo – É gigantesco, porque São Paulo além de ser o Estado onde tem influência de várias culturas, também tem inúmeros nichos de mercado para comercialização. O número de feiras de negócios que traz para a cidade turistas e empresários é muito grande. Temos que aproveitar essa característica para alavancar o setor artesanal.

Portal Anapress – O que mais dificulta o desenvolvimento e o fomento do artesanato em São Paulo?

Marina Toledo – A falta de políticas públicas para o setor. Na cidade de São Paulo não há uma lei que regulamente a profissão. Não se tem dados de quantos somos e onde estamos. As feiras institucionalizadas estão sucateadas. Notamos uma grande inversão de valores, onde nos anos 60/70 a Praça da República era uma referência do Artesanato Paulista e hoje os próprios expositores reclamam e abandonam a feira por existir tanta revenda. Artesanato não se faz de baciada e nem por atacado, pois leva tempo para sua criação e execução. Daí a razão de ter um valor diferenciado. Hoje em dia o que vemos é um industrianato invadindo feiras. Vemos um artesanato que se copia e que não conta uma história. Aliado a tudo isso, o poder público não nos vê, somos invisíveis. Neste mês foi lançado o Plano Municipal de Cultura. Foi elaborado um diagnóstico onde o artesanato nem se quer foi citado. Consideramos o artesanato uma das maiores expressões culturais do país e São Paulo não pode ficar na obscuridade. Temos mestres e mestras que muito nos orgulham e precisamos mostrar para o governo que somos também uma grande vitrine para atrair mais negócios para as prefeituras e para o Estado.

Portal Anapress – Três candidatas da Rede foram eleitas para o CAP – Conselho do Artesanato Paulista. Quais são as propostas e diretrizes da Rede Articulando?

Marina Toledo – Cleide Toledo, Luciana Galloni e Loli Colpa foram as eleitas. Terão a responsabilidade de trazer as demandas de todos os artesãos e artesãs do Estado de São Paulo para que desenvolvam ações que atendam os anseios da categoria.  Identificarão e promoverão a articulação com programas municipais, estaduais e federais de incentivo ao artesanato. Poderão avaliar as medidas de fomento ao artesanato estadual, sugerindo correções e ajustes. Junto ao CAP a Rede Articulando oferecerá todo o suporte e apoio para a viabilização destas ações. Já estamos nos organizando para criar multiplicadores em alguns municípios de nosso Estado. Essa meta será um grande desafio, para que se escute as bases e leve o que nós artesãos e artesãs precisamos e merecemos. Sabemos da importância da participação de todos os inscritos na Sutaco no envio de suas demandas. Não temos a soberba de acharmos que temos a fórmula mágica, até porque são 12 conselheiros e trabalharemos em conjunto e com grande sintonia em prol de todos.

Portal Anapress – Caso queira citar algo que não foi perguntado fique a vontade.

Marina Toledo – No dia 07/03/2016 realizamos um grande evento no Espacio 945, um coworking apoiador de nossas ações.  Neste evento, nossos filiados, que já passam de 130, trouxeram suas peças, onde foram examinadas pela nossa curadora e em seguida foram fotografados para a montagem de nosso catálogo. Faremos a divulgação e comercialização dos produtos de nossos filiados. Este foi apenas o primeiro de muitos outros que estão por vir.

Rede Articulando
(11) 3726 4097/9 9159 5303
redearticulando@gmail.com

www.facebook.com/Rede-Articulando-Fomento-ao-Artesanato-Paulista-882731495147590

Por: Edna Pessanha