Maior feira de arte da América Latina abre suas portas

Obra de Tony Oursler - Foto: Divulgação

Obra de Tony Oursler – Foto: Divulgação

A partir do dia 07 de abril se inicia no Pavilhão da Bienal, no parque Ibirapuera, a 12ª edição da SP-Arte – Feira Internacional de Arte de São Paulo, maior feira de arte da América Latina.

A SP-Arte tem como um dos seus objetivos incrementar a arte brasileira, além de fomentar o mercado e colocar as galerias em contato com potenciais colecionadores.

Devido sua importância para o mercado, sua data de realização concentra um grande número de aberturas de exposições na cidade.

Pela primeira vez, a SP-Arte dedica uma área exclusiva ao design. Instalado no terceiro andar, o espaço irá receber 23 galerias brasileiras (São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia) que se dedicam ao setor. Elas exibem peças criadas no Brasil a partir do século 19. Há, por exemplo, mobiliário de Lina Bo Bardi (1914-1922), Oscar Niemeyer (1907-2012), irmãos Campana, Zanini de Zanine e Zanine Caldas. Ter design em feiras de arte é uma tendência mundial.

Nesta edição, 124 galerias estrangeiras e nacionais (fora as 23 dedicadas às peças de design) exibem suas obras, cada uma apresenta uma média de 30 itens. A paulistana Mendes Wood DM, por exemplo, leva o trabalho do artista americano James Lee Byars (1932-1997). De Nova York, a galeria David Zwirner traz obras da também americana Sherrie Levine.

Obra de Sherrie Levine - Foto: Divulgação

Obra de Sherrie Levine – Foto: Divulgação

Para quem for visitar a feira atrás de novidades, no andar térreo se concentram artistas jovens que estão iniciando suas carreias, além de novas galerias, como as paulistanas Sé e BFA (Boatos Fine Arts) e a carioca MUV Gallery.

Além das obras apresentadas pelas galerias, a feira conta com setores de curadoria própria. Em Solo, Luiza Teixeira de Freitas selecionou trabalhos individuais de artistas de 16 galerias —11 delas estrangeiras. Chance de ver obras do francês Henri Chopin, do espanhol Juan Zamora e do colombiano José Antonio Londoño, que também irá participar, em setembro, da 32º Bienal de São Paulo.

O núcleo Open Plan, que tem curadoria de Jacopo Crivelli Visconti, reúne grandes instalações ligadas à arquitetura do Pavilhão. Os trabalhos, comissionados pela feira, são de artistas como o italiano Seb Patane e o brasileiro Daniel de Paula.

Obra da artista Mona Ardeleanu, representada pela galeria Wagner + Partner, de Berlim - Foto: Divulgação

Obra da artista Mona Ardeleanu, representada pela galeria Wagner + Partner, de Berlim – Foto: Divulgação

Por fim, há uma área para performance, que desde 2015 é realizada em parceria com o Centro Universitário Belas Artes. Mais de cem pessoas se inscreveram e dez se apresentam, como Renan Marcondes (qui.(7): 16h às 18h30), que performa com um salto de 30 centímetros, e Alexandre D’Angeli (dom. (10): 14h às 16h), que propõe uma reflexão sobre vestígios imateriais resultantes da ação do homem nas cidades.

Cerca de 15 livros de arte serão lançados durante a feira. Na quinta (7), às 15h, o fotógrafo Ruy Teixeira apresenta “Desenho da Utopia” (Editora Olhares), que revisita o mobiliário moderno brasileiro. Na sexta (8), dia que concentra o maior número de lançamentos, será possível conferir livros como “Di Cavalcanti, Conquistador de Lirismos” (Editora Capivara; 17h). A publicação, coordenada por Denise Mattar e pela filha do artista, Elizabeth Di Cavalcanti, reúne cerca de 200 obras do pintor.

A programação também contempla conversas gratuitas com convidados, a maioria estrangeiros, que discorrem sobre pautas atuais do universo das artes. Destaque para o bate-papo com Mari Carmen Ramírez, curadora do departamento de arte latino-americana no Museu de Fine Arts, em Houston, com Franklin Sirmans, diretor do Pérez Art Museum Miami (PAMM), e com o arquiteto francês Jean Nouvel. As inscrições devem ser feitas por meio do site brasileiros.com.br. Quem comparecer à palestra ganhará uma entrada para a feira.

SP-Arte/2016
De 07 a 10 de abril
Pavilhão da Bienal
Parque Ibirapuera, Portão 3
São Paulo, Brasil
De Quinta a sábado, 7 a 9 de abril: 13h – 21h
Domingo, 10 de abril: 11h – 19h

Por Mariana Marinho
Fonte: Folha de São Paulo


TAG