Incentivo à leitura: como criar um projeto criativo?

O incentivo à leitura nem sempre é uma tarefa fácil. Imagine o trabalho de selecionar livros interessantes, com uma boa temática, organizar projetos e atividades com as turmas e, no final, os alunos não participarem.

Essa situação é recorrente nas escolas. Para reverter esse quadro, a escola pode apresentar projetos que estimulem debates em formatos mais interativos. E o início do ano é o momento ideal para criar os projetos e incluí-los no calendário escolar.

O desafio é saber formatar essas atividades. Neste artigo, separamos os itens necessários para desenvolver um projeto de leitura e algumas ideias para dar uma cara nova às atividades e engajar os alunos.

Por que incentivar a leitura?
Sabemos que a leitura colabora com o desenvolvimento mental, enriquece o vocabulário e estimula a criatividade. Também sabemos da importância da leitura para a interpretação de textos e para a reflexão crítica. Mas ainda assim lemos muito pouco.

No Brasil, segundo a Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, 44% da população não tem o costume de ler. Os dados de 2016 informam que da parcela de leitores (56%), a média de leitura anual é de 4,96 livros.

A pesquisa aponta ainda que 67% das pessoas entrevistadas não tiveram incentivo à leitura durante suas trajetórias de vida e que, entre a parcela de não-leitores, a maioria afirma não ter tempo, preferir outra atividade ou não ter paciência para ler.

É um quadro desafiador! Mas essa realidade pode ser alterada com o desenvolvimento de projetos de leitura.

Considerando o papel decisivo da escola na formação das pessoas, cultivar o costume de ler é muito importante para mudar esse quadro social. Para tornar isso realidade, listamos os principais tópicos para a elaboração de um projeto de leitura.

Criando um projeto:
Para desenvolver um bom projeto é preciso responder perguntas básicas. A ideia é a produção de um documento que organize as etapas e ações necessárias para execução de todas as atividades. Veja os tópicos principais:

Justificativa – argumentos que defendam a importância da ideia, é nesse ponto que você vende o seu peixe;

Objetivos – com verbos no infinitivo, indica as metas do projeto, os resultados que pretende alcançar ao final;

Metodologia – é o passo a passo do projeto, quais serão os meios utilizados e quais atividades serão desenvolvidas;

Recursos humanos e materiais – recursos necessários, quantas e quais pessoas estarão envolvidas, materiais e infraestrutura necessários para as atividades;

Cronograma – descrição das etapas de produção e realização do projeto. É importante observar se a atividade coincide com algum horário de aula para agendar a reposição;

Referências bibliográficas – bibliografia utilizada para elaboração do projeto e livros que serão utilizados durante as ações.

Com o modelo nas mãos, faça uma reunião com a equipe pedagógica, professores e bibliotecários para assinalar os objetivos e os temas que a escola escolheu trabalhar durante o período letivo. Em seguida, anote todas as ideias, autores, títulos e atividades. Conecte os tópicos, pense e repense as possibilidades e defina o projeto.

Para te inspirar a desenvolver uma ação bem criativa, fizemos uma seleção de ideias que podem ser adaptadas à realidade da sua escola. Confira:

Dicas para incentivar a leitura
O gosto pelos livros vem pelo hábito da leitura e planejar estratégias que motivem os alunos é importante para que o primeiro passo seja dado. Reunimos a seguir algumas dicas de como inovar sua escola com projetos de leitura e como apresentar o mundo dos livros através de novas experiências.

Círculo de leitura
Essa atividade é comum em diversas escolas e bibliotecas. O círculo de leitura permite uma atividade constante de leitura e trocas entre alunos, professores e familiares. A atividade pode ter um calendário que delimite o tempo para a realização da leitura – em sala de aula ou em casa – e os encontros presenciais para a interação. Uma variável da atividade é o circulo de contação de histórias.

Para tornar o projeto interessante, o responsável pela atividade pode propor que os alunos apresentem uma reflexão sobre o material lido. O interessante é que os livros podem seguir uma lista estabelecida pela escola, ou tratar de um tema a ser desenvolvido durante o ano letivo, como o bullying, por exemplo.

Leitura dinâmica e participativa
O poder lúdico dos livros é enorme! Dentro de sala ou durante o desenvolvimento de um projeto de leitura, a interação pode ser dinâmica e desenvolver as possibilidades do livro para além das páginas. Alguns exemplos são a leitura participativa, onde cada pessoa lê uma página ou as falas de uma personagem específica, e a leitura teatral, com o uso de fantasias.

Produção textual
Esta técnica é muito utilizada para gerar reflexão, desenvolver a interpretação e a capacidade de escrita dos alunos. Os alunos podem ser desafiados a escrever diferentes finais para o livro, ou ainda a produzir poesias com os elementos que mais chamaram atenção no texto. A possibilidade de criação aqui é enorme e pode resultar em uma exposição.

Como eu percebo o livro
A leitura desenvolve a criatividade e reflete as diversas visões de mundo. Nesta atividade, o objetivo é produzir desenhos ou colagens que representam cenários ou o visual das personagens.

Cada aluno pode fazer sua ilustração em casa e a cada trecho do livro os desenhos são apresentados para toda a turma. Na exibição dos desenhos, o responsável pela atividade pode estimular os alunos a falar dos motivos de retratar um local ou personagem de uma forma e não de outra.

O projeto gera reflexão sobre as possibilidades de observação e imaginação de uma história.

Esse livro é filme!
A sétima arte já adaptou diversas obras literárias para as telonas. Que tal usar este gancho como estratégia para motivar os alunos? O livro a ser trabalhado em sala pode ser contraposto com sua adaptação para o cinema.

Após a leitura, o filme pode ser exibido, seguido de um debate sobre a diferença de linguagens, refletir sobre a tradução do livro para o audiovisual, levantando debates sobre as mudanças que isso causou na história, sobre a fisionomia das personagens e características do cenário – comparando o imaginário com a adaptação fílmica.

A turma pode trazer outros exemplos e dar sequência para outras adaptações. As possibilidades são múltiplas: sagas adolescentes, clássicos da literatura nacional, filmes que viraram livros…

História além das páginas
E que tal dar sequência ao projeto anterior invertendo a lógica? Os alunos podem fazer suas próprias adaptações dos livros escolhidos pela escola, transformando-os em uma peça de teatro ou em um trailer de filme. Para turmas de adolescentes o projeto é ideal!

A atividade motiva os alunos a adquirirem a prática da leitura, interage com a presença do audiovisual no dia a dia das novas gerações e desenvolve reflexões sobre linguagem, além de trabalhar a temática do livro proposto.

O resultado pode ser apresentado em um show de talentos ou ainda em um evento que conte com a presença dos responsáveis e das outras turmas da escola.

Alguns projetos para inspirar
No Brasil, diversos projetos estão sendo desenvolvidos com o objetivo de promover o acesso a leitura. A Plataforma Pró-Livro é uma ferramenta digital destinada à mapear ações de fomento à leitura realizadas no país. Eles listam diversos projetos que vão de bibliotecas comunitária à blogs que buscam disseminar a paixão pelos livros. No site deles, você encontra várias inspirações e pode cadastrar o projeto da sua escola.

Aproveite o início do ano para colocar um projeto de leitura no calendário de atividades da escola!

 

Da Redação
Fonte: WPensar