Música e viola caipiras poderão ganhar dia nacional

O dia 13 de julho pode se tornar o Dia Nacional da Música e Viola Caipira. É o que propõe o Projeto de Lei (PL) 399/2019, que chegou ao Senado neste mês. A intenção do autor, deputado João Daniel (PT-SE), é fazer mais um resgate da história e da memória brasileira, para a valorização da identidade nacional.

A data foi escolhida por ser o aniversário de Cornélio Pires, organizador e divulgador da música caipira ao adaptá-la ao formato fonográfico e registrar os cantos que ouviu dos artistas populares caipiras em suas andanças pelo interior do país. A música caipira é originalmente música litúrgica do catolicismo popular, presente nas folias do Divino, no cateretê e na catira e no cururu, danças rituais indígenas adaptadas.

Cornélio Pires foi jornalista, escritor, folclorista e importante etnógrafo da cultura caipira e do dialeto caipira. Nasceu em 1884, em São Paulo, e morreu em 1958. Publicou mais de vinte livros, nos quais procurou registrar o vocabulário, as músicas, os termos e expressões usadas pelos caipiras.

A importância de sua pesquisa começou a ser reconhecida nos meios acadêmicos no uso e nas citações que de sua obra fez o professor Antonio Cândido, referência no estudo da sociedade e da cultura caipira, na Universidade de São Paulo (USP).

“A adoção desse dia é uma forma de homenagear Cornélio Pires por ter introduzido a música caipira no Brasil, e ao fazer isso, iremos reconhecer também o instrumento e a música que representa a alma do homem do campo brasileiro. Ao instituir o dia 13 de julho como o Dia Nacional da Música e Viola Caipira, vamos sedimentar a importância da nossa diversidade cultural”, defendeu João Daniel.

A proposta ainda precisa ser distribuída para as comissões permanentes do Senado.

 

 

Da Redação
Fonte: Agência Senado